Por que a criação de peixes é um potencial adormecido em Goiás?



Um comentário:

Matheus Oliveira disse...

Creio que além das iniciativas descritas no seu texto há de se também inserir o consumo do peixe na cultura da população geral.

Aqui onde moro (Baixada Santista, SP) tem o muito conhecido Mercado do Peixe de Santos, que geralemnte nas mídias não ouvimos falar muito durante o ano. Mas quando chega a época da Sexta Feira Santa só se ouve que está lotado e que até falta peixe para a clientela.

Pelo que vejo nessa época só falta peixe devido a um investimento maior no pescado e até criação de peixe, mas no ver deles um investimento assim não vale a pena, pois essa grande procura só ocorre nessa época, e no resto do ano o investimento não traria muitos benefícios.

E falo "inserir o consumo do peixe na cultura da população geral" porque almoço todos os dias em restaurante e o que menos vejo é a opção "peixe" (seja qual for). Se na rua a pessoa tivesse acesso ao peixe para almoçar ela poderia despertar interesse em consumi-lo em casa com a família. Digo isso por mim mesmo, raramente me alimento de peixe.

Peixe é um ótimo negócio, tanto pra quem vende quanto para quem compra. Ótimos benefícios a saúde. O que basta agora diante de tudo isso é um investimento por parte de quem pode (grandes empresas, governo, etc) para esse negócio crescer.

Postar um comentário