Era das novas mídias

Vários pesquisadores dos meios de comunicação se referem à mídia, neste início de século, como a “nova mídia”.

Cibercultura, é um novo comportamento?

A partir dos anos 1990 - Novos modelos surgem não diretamente da reprodução material, mas de representações simbólicas, como a cultura, a socialização, as relações de poder.


Estamos na era das novas mídias, na qual o planeta está cada vez mais multimídia. A informação também se transforma, no modo como passa agora a ser gerada, processada, armazenada e manipulada.

Imagem pode ser construída no Marketing Político?

• Alvin Toffler procura dar conta da “revolução” trazida pelo advento das novas tecnologias de comunicação, mostrando que “o mundo está emergindo rapidamente do choque de novos valores e tecnologias, novas relações geopolíticas, novos estilos de vida e novos modos de comunicação; exige-se ideias e analogias novas, novas classificações e novos conceitos”. A principal ideia presente é a de que as novas tecnologias fragmentam o conceito de “massa”, por permitirem uma comunicação para públicos delimitados, grupos específicos e interesses individuais. A informatização da sociedade viria acompanhada de uma descentralização das informações, o que favoreceria a participação do indivíduo. Aqui o indivíduo pode criar as suas redes de informação, como as comunidades virtuais entre outras, independentemente da gerência do estado ou de uma empresa de mídia.

• Michel Mafessoli sugere que o individualismo seja substituído pela necessidade de identificação com um 
grupo a partir da identificação. Não se tratando de uma nova cultura, mas de sua transformação para tribos” 
segmentadas, como conjuntos musicais específicos, moda etc.

• Efeito Moebius (Pierre Levy). O conceito que ele desenvolve sugere que no espaço virtual o público pode-se tornar privado e o privado pode-se tornar público.

• A Cauda Longa (Cris Anderson). Esta teoria, que é o titulo do trabalho dele, demonstra que antes da Internet a indústria cultural, ou seja, o mercado só investia em grandes hits de massa. Agora, o mercado ainda se interessa pelos fenômenos de massa, no entanto, ele indica que a receita total de uma multidão de produtos segmentados, com poucas vendas, é igual à receita total dos poucos grandes hits, daí que ele denomina este efeito de cauda longa.

• A Pirataria (Matt Mason). Para ele, a pirataria é apenas mais um modelo de negócio de mercado e qualquer pessoa com um computador é capaz de atingir mais pessoas do que uma empresa multinacional.

Um comentário:

LUCIENE RROQUES disse...

É dificilo pensar no crescimento da informação sem as violações humanas que é tipica do respeito do bicho gente. Porem a informação nao deve ser contida jamais. Épocas de campanha, como vão as de seu partido? Bom final de semana.
Um grande abraço!

Postar um comentário